O Tao gera o um

O um gera o dois

O dois gera o três

E tudo depois

Todas as coisas carregam

No seu peito o feminino

E é dessa mesma forma

Que abraçam o masculino

A respiração sem forma

É que o faz harmonioso

A respiração sem forma

Harmoniza e traz o gozo

O que os homens mais detestam

Órfãos, indignos, carentes

Mas é assim que se chamam

Reis e príncipes regentes

Pois há coisas aumentadas

Por serem diminuídas

E coisas diminuídas

São aumentadas na vida

O que os outros ensinaram

Eu ensinarei também

O violento e o forte

Por certo não morrem bem.