Sobre Essa Versão

Os estudiosos acreditam que o Tao Te Ching foi escrito por vários autores. Eu concordo. Ao traduzir esse livro percebi diferenças tão grandes entre a forma e o conteúdo dos capítulos que eles não podem ter sido escritos por uma só pessoa. Sendo assim, a minha versão do Tao Te Ching tem 53 capítulos aos invés dos 81 originais. Esses 53 representam para mim a essência do livro: “Palavras eruditas não são verdadeiras, palavras verdadeiras não são eruditas.” Espero que gostem.

Carlota Papuda

1

O caminho caminhado

Não é o caminho do Tao

O nome que é nomeado

Não é o nome imortal

Porque o inominável

É do mundo o criador

E aquilo que se nomina

Das dez mil coisas é autor

Por isso que sem desejos

Pode-se ver a essência

Enquanto que no desejo

Temos somente aparência

E esses dois lados unidos

O aparente e o etéreo

Nascem da mesma fonte

A que se chama mistério

O mistério dos mistérios

E sua decifração

É onde se localiza

O portal da criação.

2

2

Quando todo mundo sabe

O que é belo e beleza

Surge no mundo a feiura

Causando grande tristeza

Quando todo mundo sabe

O que é bom e bondade

Surge no mundo o maligno

Um conceito de maldade

Mas o ser e o não ser

Um ao outro é que se geram

E o fácil e o difícil

Da mesma forma prosperam

Com o curto e o comprido

O alto e baixo também

Eles servem de contraste

Num falta o que o outro tem

O som e a voz unidos

Juntos fazem harmonia

O início e o começo

Se seguem qual noite e dia

Por isso o sábio conduz

Tudo aquilo por fazer

Sem nada realizar

E ensina sem dizer

Quando as dez mil coisas surgem

Ele não resiste a nada

Ele cria e não se apega

Aquela coisa criada

Ele age e não depende

Do fruto da sua ação

Alcança bastante glória

Mas não agarra ela não

Ele faz e não habita

Onde merece habitar

E é por isso que o sábio

Nunca tem de se mudar.

3

Não dar valor à pessoa

Que tem grande habilidade

Isso evita que o povo

Se perca em rivalidade

Não dar valor a tesouros

Difíceis de conquistar

Isso evita que o povo

Endoide e pense em roubar

Ignorando essas coisas

As que se deseja mais

Isso faz que todo povo

Tenha o coração em paz

Assim que governa o sábio

Trabalhando igual formiga

Esvazia os corações

E enche toda barriga

Ele faz mais pelos seus

O que queremos pros nossos

Esvazia seus desejos

E fortalece seus ossos

Em matéria de desejos

Faz o povo ignorante

E o sábio que se arvorar

Ele não segue adiante

Quando age sem agir

Praticando a restrição

Nada está desgovernado

Na terra há união.

4

O Tao parece vazio

Mas não se esgota jamais

Quão profundo e infinito

É mãe de todos mortais

Cega a sua agudez

Da corrente quebra o nó

Diminui seu próprio brilho

E se iguala ao próprio pó

Oh quão calmo Ele é

Eu não sei quem são os seus

Mas o grande Tao parece

Ser mais velho do que Deus.

5

Obs.: Cachorros de palha eram lindamente feitos na China antiga para ornamentar festivais e quando o festival acabava eles eram invariavelmente queimados

5

Em termo das dez mil coisas

O mundo age e não falha

Ele trata todas elas

Como a cachorros de palha

E em termos do ser humano

O homem sábio não falha

Ele trata todos eles

Como cachorros de palha

Eu comparo a atmosfera

Como o fole de abanar

É vazio e não se esgota

Gera mais força ao se usar

Não é assim com a fala

O tagarelar constante

Gera logo a exaustão

E não se segue adiante

Melhor seria o silêncio

Pois a vida é um passeio

Onde o melhor caminho

É o caminho do meio.

6

Não morre a alma do vale

Misteriosa se chama

Porta do céu e da terra

É aquela que se aclama

Sem esforço ela provê

Contínua e infinitamente

É raiz de toda vida

Mas antes sua semente

7

Nossa Terra é duradoura

O céu azul é eterno

Pois não vivem para si

Tal qual o homem moderno

Assim o sábio se põe

Atrás e fica na frente

Entrega sua pessoa

E preserva sua mente

Sua personalidade

Assim é bem conservada

Ele então conquista tudo

Porque não deseja nada.

8

A bondade superior

Com a água se parece

Beneficia a tudo

Nenhuma coisa perece

Busca os níveis inferiores

Que o homem vê como mal

É por isso que a água

Se assemelha com o Tao

Na terra mora a bondade

Abismo é seu coração

Ao doar ela é humana

Falando não mente não

Governando ela cura

Nos negócios é eficaz

Seu movimento é o ritmo

De tudo isso é capaz

O sábio nunca disputa

Com mocinho ou com bandido

E é por isso que ele

Nunca é repreendido.

9

Agarrar o que transborda

É frustração eu não nego

Afiar demais a faca

Faz o corte ficar cego

Um quarto completamente

Preenchido de ouro e jade

Pode ter muito valor

Mas não haverá quem guarde

Quando se torna arrogante

Devido à honra e riqueza

Isso traz dentro de si

A semente da tristeza

Conquistar mérito e fama

E depois se retirar

Esse é do Tao o caminho

Que o sábio quer caminhar.