Nos tempos da antiguidade

Os que tiveram valor

Para mestres se tornar

Eram sutis e profundos

Como é imenso o mar

Espirituais e sábios

Difíceis de entender

Mas mesmo assim tentarei

Seus modos esclarecer

Eles eram cautelosos

Como quem cruza um rio

No inverno tenebroso

Era esse o desafio

Eles eram relutantes

Como quem teme os vizinhos

Respeitosos como hóspedes

Quem está fora do ninho

Eles eram elusivos

Tal qual gelo a derreter

Simples como uma madeira

Que já parou de crescer

Vazios, eram como vales

Qual águas turvas do mar

Quer clarear essas águas?

Então deixe decantar

Quem cultiva o Tao eterno

Não tem desejo por mais

Sendo contente envelhece

E não quer ser jovem mais.