A minha palavra é fácil

De compreender, praticar

Mas não existe no mundo

Alguém que a possa usar

Palavras tem uma origem

Os atos são bem regidos

Como a esses não se entende

A mim não se da ouvidos

Aqueles que me compreendem

São poucos e muito raros

Os que me seguem são nobres

Os que me amam são caros

Por isso o homem sagrado

Cobre o corpo com farrapos

E esconde suas joias

Bem debaixo dos seus trapos.