Disse um mestre militar:

“Não quero ser anfitrião

Prefiro agir como hóspede

Mesmo com as armas na mão

Não me encoraja avançar

Nem mesmo uma polegada

Melhor recuar um pé

E isso é melhor que nada

Isso é mover não movendo

Agarrar não abraçando

Enfrentar sem inimizade

É defender não lutando

Não há desgraça maior

Que humilhar o inimigo

Humilhando o inimigo

Se põe o tesouro em perigo

Por isso que no confronto

Onde as armas se igualam

Vence o que está mais triste

E é assim que nos falam.