O que está em seu repouso

É bem fácil de manter

O que ainda não surgiu

Fácil é de se prever

O fraco se quebra fácil

Não é difícil provar

O que é muito pequeno

É fácil de dispersar

Resolva todas as coisas

Antes delas existirem

Regule as coisas também

Antes das desordens virem

Uma árvore gigante

Nasce de muda pequena

A torre de nove andares

Vem de um tijolo e uma trena

A jornada de mil milhas

Com um passo se inicia

Quem age acaba estragando

Quem se apegar perderia

O sábio não ousa agir

Por isso é que não estraga

Ele não se apega a nada

Por isso é que ele não vaga

Conduzindo os seus negócios

As pessoas os destroem

Na véspera do sucesso

São essas coisas que doem

Se cuidassem bem no fim

Como cuidam no começo

Eles não fracassariam

Essa lição não tem preço

Assim o sábio deseja

É não ter desejo algum

E não da valor a coisa

Valiosa e incomum

Aprende o que os outros homens

Não tem gana de aprender

E retorna para aquilo

Que se ignora saber

Ajuda todas as coisas

No seu crescer natural

Pois ele não interfere

Ele é um sábio afinal.